Otimize Mais – # 06 – 18/11/2016

Otimize Mais – # 06 – 18/11/2016
Informações objetivas e diretas.


Joinville já aparece na plataforma UBER e motoristas de Jaraguá já estão sendo recrutados:  Como reportamos na edição # 05 do Otimize Mais, o Uber em breve será realidade em Joinville. A novidade dessa semana é que nossa querida cidade já aparece no aplicativo da empresa, e segundo informações, motoristas da saudosa Jaraguá do Sul também já estão sendo recrutados.

Fonte: ND

Comércio parece reagir em outubro: Pelo menos é a percepção do presidente da HAVAN, que obteve um crescimento de 15% nas vendas comparadas ao mesmo mês do ano passado. Embora a expectativa seja de crescimento acima dos dois dígitos nos próximos meses, a empresa deve encerrar o ano com uma queda de aproximadamente 3% comparado à 2015. Contudo, a empresa pretende abrir mais 10 lojas no ano de 2017, chegando ao número de 100 unidade espalhadas por 15 estados da federação. Como referência, em 2016 a empresa abriu apenas 1 loja. Sucesso à gigante catarinense.

Fonte: DC

Enquanto isso… tem supermercadista com bens sequestrados pela fazenda estadual: Os donos dos supermercados Angeloni, com matriz em Criciúma, tiveram alguns seus bens sequestrados pela receita estadual como garantia do ICMS não recolhido do período de janeiro a abril de 2010. Segundo a secretaria da fazenda do estado de SC, a rede é a segunda maior devedora de ICMS do estado. Como temos alertado, o fisco está de olho….

Fonte: Catarina Clic

Setor de autopeças em alerta: O Instituto Nacional de Recuperação Empresarial, de janeiro a setembro deste ano, 130 fabricantes de autopeças fecharam as portas e outras 105 passam por recuperação judicial. Entre estas que estão em recuperação, não podemos deixar de citar a Wetzel de Joinville. Altos estoques nas montadoras e baixo volume de vendas nas concessionárias são as principais causas apontadas.

Fonte: AN

E a Narizinho deu uma dentro: Embora este que vos escreve não simpatize com a senadora Gleisi Hoffmann, este mesmo reconhece que a Narizinho mandou muito bem na proposta apresentado no senado que regula os juros cobrados por instituições financeiras. Em síntese, o mercado seria segmentado em 2 tipos de linha de crédito: com garantia real e sem garantia. A primeira, por ter risco menor, seria limitado a taxas de até 2 vezes a Selic (hoje 14% ao ano). Enquanto que as operações sem garantia estariam limitadas até 4 vezes a taxa Selic. Realmente não há como negar a qualidade dessa proposta, que é baseada em uma lei portuguesa. Vamos acompanhar e torcer que dê certo a medida (PL 413/2016).

Fonte: Infomoney

Fraternais cumprimentos,

Adm. Diego da Silva.

©Direito reservado Otimize Soluções e Treinamentos Empresariais

Deixe um Comentário